Velha Infância (Ou Os Peixinhos)

Os Peixinhos
(Tribalistas)

Os peixinhos são
Flores sem o chão
Nadam, boiam, fazem bolhas
E bolinhas de sabão

Como lindos são
Coloridos tão
Espirrando gotas
Como notas na canção

Nas vitrines máscaras de aquários
Dos mergulhadores
Furtam do arco-íris tantas cores
Ultravioleta, infravermelho
Degradée e fúcsia
Todas as modulações do espectro

Os peixinhos são
Flores sem o chão
Nadam, boiam, fazem bolhas
E bolinhas de sabão

Como lindos são
Coloridos tão
Espirrando gotas
Como notas na canção

Nas escamas brilha espelhada
Toda a luz do sol
Verde, azul, vermelho, ouro e prata
Segue junto com o seu cardume
Pra enganar o anzol
Aquarela colorindo a água


Sim. Não. O Título deste texto É uma alusão à música “Velha Infância” dos Tribalistas. Mas a música que eu queria mostrar era essa. Os Peixinhos. Não só. Essa versão específica. Porque além de Arnaldo, Marisa e Carlinhos, há ali uma quarta voz, uma voz Portuguesa. Carminho. Como eu sou Brasileiro, mas vivo Portugal, acho que faz todo sentido. Não?

Do trio original, apenas o Arnaldo parece ter mudado. Marisa continua a mesma, ela mesma. Carlinhos continua o mesmo, parece que não está nem aí. E o Arnaldo? Ele parece que está cada vez mais alucinado. Não sei se isso é bom ou ruim. Provavelmente nem um nem outro. O mundo é assim. Fim.

E eu ainda lembro da cozinha da casa antiga, do piso vermelho, das paredes de madeira infestadas de cupim, da geladeira azul que era mais velha do que a gente, das minhas irmãs e amigos, a ouvir os Tribalistas…

E agora, 15 anos depois, os peixinhos…

Se você tem a minha idade, ou perto dela, ouvir esta música não te traz um gosto de passado? Um sentimento de que, se calhar, estás a ficar velho? Uma sensação de que gastou uma boa parte da sua vida dando valor às coisas erradas e que, se calhar, aquilo que ficou lá atrás é que era importante?

A tua infância? A tua velha infância?

Talvez não. Não faz mal. Cada um é cada um.

12 comentários em “Velha Infância (Ou Os Peixinhos)

  1. Entre “geladeiras e frigoríficos”… gosto muito desta versão dos “peixinhos” com a colaboração da nossa Carminho. Formaram uns belíssimo “quadribalistas”!

    Em complemento…
    …o primeiro frigorífico da minha infância era branquinho, teria hoje cinquenta anos…e guardava gelados que a minha mãe fazia! Mesmo com palhetas de gelo dentro, esses gelados eram sempre desejados e maravilhosos!
    Gostei do post!

    Curtido por 1 pessoa

  2. os Tribalistas, os peixinhos, a infância, a geladeira…na minha digamos passagem pela infância até o início da adolescência era o velho e inigualável rock dos anos 60, a Jovem Guarda, Bossa Nova, e não lembro mais, afinal o tempo está ficando muito distante para mim. geladeiras, peixinhos…tudo o que me vem agora é uma saudade infinita que não cabe dentro da própria palavra. belo e sensível, Eduardo.

    Curtido por 2 pessoas

    1. E não é? Quanta gente, no Brasil, quiçá no mundo, cresceu olhando para uma geladeira azul… E levando sermão da mãe por abrir a porta esperando encontrar alguma coisa que não estava lá cinco minutos antes…

      Curtido por 2 pessoas

Deixe uma resposta para Chronosfer2.wordpress.com Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s