(Ou as aventuras de um pai, uma mãe, e um filho…)

E lá estávamos nós os três, a passear no parque, quando o pequenote vê o anfiteatro a céu aberto. Imediatamente dispara:

— Papá, mamã! Vocês sentam que eu vou fazer um espetáculo!

A mãe já corre avisar que ela não vai fazer espetáculo nenhum, ao que o pai concorda e diz que hoje ele também vai só assistir (o pequenote tem a mania que tudo que ele faz todo mundo acha divertido e tem de fazer também).

Lá vamos nós até a arquibancada de pedra incrustada na colina e sentamos. Ele esperou tudo pacientemente e quando nos acomodamos lá ele começa com a apresentação, que consiste basicamente em pular feito um louco e balançar os braços e mostrar a língua e balbuciar palavras sem sentido.

Mas o inusitado, ou não, acontece.

Ao pular para trás, prende o calcanhar numa das irregularidades do piso e cai de bunda no chão. Imediatamente sorri um sorriso amarelo de quem está segurando um grande “au”, levante e caminha em nossa direção, meio mancando, meio massageando uma das nádegas.

Senta-se ao nosso lado e diz, assim, como quem não quer nada:

— Vou só ficar aqui sentado um pouquinho.

A mãe, preocupada, pergunta:

— Filho, como está o rabo? Está bem?

— Sim…

— E o orgulho?

— Não…


1Eu simplesmente não resisti… Marx & Lenine???!!! Quem diria! E claro, a música tem tudo a ver com o texto, né não???? :mrgreen:

2Não encontrei a letra, infelizmente…

3Baseado em fatos reais…