Mourir Auprès de Toi

Mourir Auprès de Toi (ou To Die by Your Side em inglês) é uma animação do tipo “stop motion” com duração de 6 minutos. É uma comédia romântica. Sim… Bom… Não… Talvez? Certamente é uma comédia… Já a parte do romance, bom, deixo para vocês decidirem.

Mas eu acho que é pura poesia…

Algo muito importante em uma animação como essa, tão curta, é prestar atenção aos detalhes. Por isso, eu sugiro que vocês prestem atenção aos detalhes… 😉

E um detalhe que me chamou a atenção DEPOIS de ter assistido à animação, foi esse:

captura-de-pantalla-2011-10-23-a-las-13-29-47

É o livro “O Leopardo”, de Giuseppe Di Lampedusa. Eu já tinha ouvido falar do livro, e nesta semana, depois de ter assistido à animação, esse título já passou mais duas vezes à minha frente. Depois tive excelentes referência desse livro. Parece que é um daqueles livros do tipo “como assim você ainda não leu?”.

Fica aqui então a animação (tem de ir até o Vimeo para ver, mas vale a pena, eu juro).

Apenas… Mantenham a mente aberta… xD
Espero que gostem.

Deixo aqui alguns links que podem ser interessantes:

http://www.realitismfilms.com/
https://www.leonardcohenanimation.com/


1Ando sumido, eu sei. É a vida.

La Tortue Rouge

Faz algum tempo assisti a uma animação chamada La Tortue Rouge (A Tartaruga Vermelha).

Esta animação é uma produção conjunta entre Japão, França e Bélgica, sendo que o diretor é Michael Dudok de Wit, tendo sido convidado pelos estúdios Ghibli, bastante conhecido no mundo das animações japonesas, para a realização do filme. Continuar lendo “La Tortue Rouge”

Severino Lavrador, mas já não lavra…

Em meio ao pó e vento quente cresceu
Plantou e colheu, até não poder mais
No silêncio e na secura definhou 
Pois que esse é sempre o destino
De todo o sertanejo Severino
Sem nunca ter visto e vivido
Nascer, Crescer
Curvar e Morrer

Jauch

Uma pequena homenagem à esta magnífica obra: Morte e Vida Severina do escritor João Cabral de Melo Neto. O texto é um poema drámatico que conta o sofrimento da personagem Severino. Lembro-me de estudar o texto quando ia na escola. Lembro-me do sentimento de infantil deslumbramento diante da realidade que ele evocava. Lembro-me de ficar acordado até mais tarde, certa noite, para assistir com meus pais e minha avó ao especial produzido para a Rede Globo (quando essa ainda apresentava alguma coisa de jeito). Lembro-me ainda da angústia que senti, diante de todo sofrimento que eu via.

Continuar lendo “Severino Lavrador, mas já não lavra…”