Dia Mundial do Livro

O dia mundial do livro foi oficialmente definido pela UNESCO como sendo o dia 23 de Abril. No discurso deste ano, a diretora geral da UNESCO, Irina Bokova, iniciou com a seguinte afirmação:

O dia Mundial do Livro e do Copyright é uma oportunidade para destacar o poder dos livros para promover a nossa visão de sociedades do conhecimento que são inclusivas, pluralistas, eqüitativas, abertas e participativas para todos os cidadãos.

É curioso notar que a UNESCO comemora não apenas o “Livro”, mas também o “Copyright”. Mas isso fica para uma discussão futura.

Continuar lendo “Dia Mundial do Livro”

Disciplina Sem Dramas

Esse é para quem é pai/mãe ou para quem vai ser em breve.

Uma das grandes preocupações que temos, enquanto pais, é a de como educar nossos filhos. Cada criança é diferente e, portanto, qualquer um que diga que tem uma receita mágica para educar seu filho estará mentindo. Neste sentido, gostava de apresentar-vos um livro que tem uma abordagem muito interessante ao tema.

Antes de mais nada, é preciso sempre lembrar que por “educar” não estamos apenas nos referindo à arte de conseguir que nossos filhos façam aquilo que queremos ou precisamos que eles façam (comer, dormir, respeitar, etc…), mas também provê-los com ferramentas para que eles possam viver suas vidas plenamente.

O livro chama-se “Disciplina Sem Dramas: Zangas Para Quê?“, e foi escrito por Daniel J. Siegel e Tina Payne Bryson. A edição que eu tenho é da editora Lua de Papel.

A idéia central do Livro é que se formos capazes de compreender como o cérebro da criança “funciona”, a nossa capacidade de lidar com as situações do dia-a-dia vai ficar muito facilitada e, ao mesmo tempo, conseguiremos usar essas situações para efectivamente “educar” nossos filhos, não apenas “disciplinar”, como é entendido no sentido de garantir que a criança “obedeça”.

De certa forma, muito simplificada, o nosso cérebro trabalha em dois “modos”: um reativo e um reflexivo. O modo reativo é emocional, é instintivo, é um modo voltado para a autopreservação. O modo reflexivo é um modo mais lento, em que usamos o raciocínio para compreender as situações e aprender/desenvolver respostas e comportamentos que nos ajudam a superar as dificuldades.

Como podem imaginar, o modo reativo é usualmente o primeiro a disparar, por uma questão de sobrevivência. Isso é ainda mais intenso nas crianças, pois esse sistema fica funcional muito rapidamente, enquanto a parte do cérebro que trata da capacidade de raciocínio só está completamente formada por volta dos 25 anos.

Portanto, a primeira coisa que temos de compreender é que a “birra” é uma resposta emocional e automática, não é maldade ou falta de educação por parte da criança. Só isso já pode ajudar muito ao adulto a encarar a situação de maneira bastante diferente e, acreditem, o foco na necessidade da criança ao invés de na ação facilita muito resolver as crises, não apenas sem amuos e choradeiras, mas também muito mais rápido.

O “truque” segundo os autores, é conseguir ajudar a criança a usar a parte racional e, desta maneira, conseguir controlar a parte emocional. Para isso, eles oferecem uma série de estratégias e regras gerais a serem observadas quando uma situação de tensão acontecer.

Funciona sempre? Não. Mas funciona a maior parte das vezes.

A experiência que temos feito aqui em casa tem sido muito interessante e posso dizer, sem medo nenhum, que a quantidade de birras diminuiu muito e, ao mesmo tempo, estou muito mais confiante de que estou educando o nosso pequeno Lucas para se tornar uma pessoa capaz de viver plenamente sua vida.

Fica então aqui a dica para quem estiver interessado.


Título em Português: Disciplina Sem Dramas (2015)
Título original: No Drama Discipline (2014)
Autores: Daniel J. Siegel, Tina Payne Bryson
Tradução: Maria João Camacho, Henrique Frederico
Editora: Lua de Papel