Os quem?

— Cara! Descobri uma banda do caraças!!!

— Ah é? Fixe! Como é o nome?

— The Hu!

— The Who?

— Isso! The Hu!

— Ah… Acho que já ouvi falar…


Uma das coisas que eu gosto de fazer é descobrir música. Muitas vezes fico a navegar pelo Youtube (principalmente, ainda que o esquema de propaganda deles me irrite profundamente…), ou outros sites de música, em busca de coisas que eu não conheça (novas para mim, não necessariamente “novas” de todo).

Num destes passeios pela web, em busca de novas trilhas sonoras para a minha vida (ou para os meus textos, dá na mesma), deparei-me com uma banda chamada “The HU Band”. Pois, o micro conto acima é uma piada, claro, porque eu leio HU e WHO da mesma maneira: RRU. E não é sobre a banda The Who que esse post vem falar (ainda que eu também goste).

Mas o que é que essa banda tem de diferente? Bom, ela é da Mongólia… Ouiéééé. E eles cantam em Mongol. As letras são interessantes, muito voltadas para o respeito às tradições, exaltando o orgulho de ser Mongol, mas não de uma forma “totalitarista”. Antes, mais como uma forma de valorizar uma cultura que tem milênios. Pelo menos é o que me pareceu.

Além da sonoridade que muito me agrada, uma mistura de sons que facilmente se identifica como orientais, muito provavelmente por conta dos instrumentos utilizados, tipicos da região, misturada com levadas mais modernas (as músicas são assim mais “pesadas”), uma das coisas que me atraiu foi o visual (as roupas, os adornos dos instrumentos), e também as letras, que trazem muito dessa cultura, que muitos de nós só deve conhecer através do nome do grande conquistador, Gengis Khan.

O estilo de música dessa banda é chamado de HUNNU ROCK.

Ficam aqui os dois vídeos com músicas dos The HU Band que eu encontrei.

Em ambas é possível ligar as legendas em Inglês (pelo menos) e acompanhar a letra enquanto se ouve a música.

Claro que depois deles eu encontrei outras bandas de origem Mongol. Vou deixar duas aqui, para vocês conhecerem.

A primeira são os Hanggai. Eles são de etnia Mongol, e tiveram de aprender o idioma Mongol para cantar em seu idioma ancenstral, quando decidiram enveredar por essa via (eles vivem na China). Esse vídeo é de uma apresentação deles em um show ao estilo “The Voice”, mas Chinês. Também se fala Mongol na China, e não só (wikipedia sobre Mongol).

A segunda, com um som mais ocidental, mas ainda assim cantado em Mongol, é a banda Nine Trasures, que li alguém classificar como “Mongol Folk Metal” 😀


1Daí você pergunta: WTF??? Bom, eu pensei, provavelmente o último post do ano, queria que já fosse algo novo para começar bem o ano que vem. Nada melhor que música Mongol para alcançar algo NOVO, não? 😀

2Fica aqui uma foto de alguém que eu conheço que ficou fanático por música Mongol (principalmente dos Hanggai…)

2018-12-29 09.39.59
O meu pequenucho curtindo um rock mongol

3Como resolução de fim de ano, relativa ao blog, fica o desejo de conseguir publicar um post por semana, em 2019. Vamos lá ver se um milagre acontece e eu consigo a, …, como é mesmo o nome da palavra…? Putz, meu cérebro até se recusa a lembrar dela… É aquela coisa que os soldados tem de ter… DISCIPLINA! Isso. 🙂 Vamos ver se acontece um milagre e eu consigo ser disciplinado (coisas para trazer cá para o blog é que não faltam… rs).

4Feliz Natal!!! Feliz Ano Novo!!! 😀

5Não te deu uma vontade louca de abrir uma enciclopédia e ir ler sobre a Mongólia? 😀

Portugal – Eurovisão 2018

Este ano o festival da Eurovisão está a ser realizado, pela primeira vez na história, em Portugal, uma vez que no ano passado, Portugal levou o título com a canção de Salvador Sobral.

Para quem tem preguiça de clicar em links, o festival da Eurovisão é um festival de música onde competem, atualmente, praticamente todos os países europeus. E mais alguns (Israel, Austrália, …).

A maioria das músicas “sucks”, no geral, mas é um festival engraçado e, claro, há sempre músicas fantásticas. Eu nunca quero ver, mas acabo sempre dando uma espiadela. É uma festa lindíssima e o público que vai ao local assistir em direto é, digamos, pouco convencional com a indumentária. Sexta, no metro, estava muito divertido. Continuar lendo “Portugal – Eurovisão 2018”

SNAZ – Cocaine

E eu me lembrei de uma música: Cocaine.

Gravada por J. J. Cale em 1976, com sua versão mais conhecida numa interpretação de Eric Clapton (que a regravou em 1977 e, mais recentemente, numa versão Unplugged).

Mas essa… Ah… Essa é a minha versão preferida de Cocaine: a dos Nazareth, uma banda Escocesa que, na minha opinião, não tem o reconhecimento que merece… De notar que o vocalista tem uma voz muito peculiar. Continuar lendo “SNAZ – Cocaine”