Quando Vier a Primavera

Quando Vier a Primavera
(Alberto Caeiro)

Quando vier a Primavera,
Se eu já estiver morto,
As flores florirão da mesma maneira
E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada.
A realidade não precisa de mim.

Sinto uma alegria enorme
Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma

Se soubesse que amanhã morria
E a Primavera era depois de amanhã,
Morreria contente, porque ela era depois de amanhã.
Se esse é o seu tempo, quando havia ela de vir senão no seu tempo?
Gosto que tudo seja real e que tudo esteja certo;
E gosto porque assim seria, mesmo que eu não gostasse.
Por isso, se morrer agora, morro contente,
Porque tudo é real e tudo está certo.

Podem rezar latim sobre o meu caixão, se quiserem.
Se quiserem, podem dançar e cantar à roda dele.
Não tenho preferências para quando já não puder ter preferências.
O que for, quando for, é que será o que é.


Quando Vier a Primavera é um poema de Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa, um dos grandes nomes da literatura portuguesa.

A poesia (a escrita em geral) é como a música. A letra não é capaz de transmitir uma imagem completa, não importa o quão detalhada ou a escolha das palavras. Esta sua característica deixa espaço para uma interação positiva com o seu leitor, uma vez que este, usualmente, sente necessidade de preencher as lacunas deixadas propositadamente ou não (a necessidade e as lacunas). Ao fazê-lo, toma para si parte da obra, que passa a ser não mais uma obra do escritor, mas uma obra conjunta escritor/leitor. No fim, será a voz do leitor quem dará vida à obra, não o contrário.

Para demonstrar este efeito, da “voz” do leitor, deixo aqui cinco vídeos, com cinco pessoas diferentes a declamar esta belíssima poesia de Caeiro. São capazes de perceber como o mesmo texto sente-se distinto, dependendo de quem declama?

Os vídeos fazem parte de uma iniciatíva da RTP 2, um canal de TV pública em Portugal, chamada “Um poema por semana”, que foi ao ar em 2011 e compreendia a leitura de 15 poemas, por 75 pessoas diferentes, tendo sido uma ideia de Paula Moura Pinheiro.

Ingrid Fortez

Alexandre Silva

Filipe Vargas

Pedro Lamares

Valdemar Santos

Então? O que acharam? 🙂

3 comentários em “Quando Vier a Primavera

  1. O Pessoa tem muito dessa coisa do tempo e talvez tenha sido isso que me ter seus livros como uma Bíblia para mim desde os mês 15 anos – bah! O tempo voou!!!!! – e agora ao ler/escutar mexe muito. Post de luxo. Grande abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s