“Pétalas” é o título da história criada pelo gaúcho Gustavo Borges. É uma banda desenhada (quadrinhos). É uma história muito bonita, com uma pequena curiosidade: não há “falas”, o que tornou alguns dos momentos da história bastante desafiadores, como comenta o autor no próprio livro.

petalas-gustavo-borges-cris-peter-preview

Aqui em Portugal, foi editada pela Kingpin Books, em uma edição de luxo, com capa dura. A edição inclui a história, textos do autor Gustavo Borges e da colorista Cris Peter (também ela gaúcha), e interpretações das personagens feitos por outros desenhistas. Sendo um trabalho independente, tudo isso traz mais valor à obra (que seria excelente mesmo sem esses adendos).

O aspecto da ausência de falas tem variados impactos na obra. O mais óbvio é a facilidade em publicar em outros mercados, uma vez que não há necessidade de tradução da obra em si, resumindo-se aos textos dos autores.

Mas o impacto maior está, definitivamente, na leitura da obra. O leitor passa a ter uma participação mais efetiva na criação da história, uma vez que, a exemplo do que acontece com os livros (em geral), em que o leitor precisa imaginar o que o autor escreve, aqui ele precisa imaginar o que o autor não escreve. Para uma banda desenhada e para esta em especial, esse é um aspecto de muita relevância.

Confesso que os traços me lembram, vagamente, as histórias do Pato Donald. Mas se o autor foi lá beber dessa fonte, não tem importância. Os desenhos, as cores e a história são deliciosos.

Deixo aqui o link para uma entrevista, no YouTube (Canal “No Fio do Bigode”), onde o autor fala, entre outras coisas, do seu primeiro trabalho, as tirinhas “A Entediante Vida de Morte Crens” (que eu desconhecia mas vou correr atrás), o livro Pétalas e outros trabalhos. Como podem ver, é um “puto” (mesmo a entrevista sendo de 2015, ainda é. lol).

E aqui fica o link para o portfolio do Gustavo Borges:
https://www.behance.net/gustavosborges

É uma aquisição/leitura que eu recomendo 🙂

Abraços!