Já fazia algum tempo que eu não colocava nada “visual”, aqui no blog, sobre o meu Portugal. Meu, porque já é meu. Agora é tarde. Adotei e fui adotado. Não há volta a dar.

Mas pronto, quando chega a hora, chega a hora, e hoje esse post impunha-se.

O pequenucho viu o belíssimo dia que fazia lá fora e quis ir ao “Parque dos Vermelhos”, que é o nome que ele deu ao Parque Urbano do Jamor, que está integrado no Complexo Desportivo do Jamor, em Cruz Quebrada (Oeiras). Quando ele pediu, a primeira vez, para ir ao “Parque dos Vermelhos”, tinha ele não sei, talvez uns 3 anos, foi um parto pra descobrir qual era o parque. Tivemos que pegar o carro e dar umas voltas por alguns parques que ele já tinha visitado até ele apontar o correto…

Pelo menos é assim que eu me lembro. Mas minha memória é… Bem… Engraçada. 🙂

Portanto, deixo aqui algumas fotografias feitas hoje. Eram para ser cinco, certo? E sempre foram seis… Hoje nem sei quantas serão. Vou escolhendo, depois vocês contam…

blog_patoreal
Anda, nada, voa e ainda enfia a cabeça na água. Por isso, um pato, pra começar.
blog_marcasdotempo
O tempo deixa suas marcas. E também a água, os Líquens, as Gaivotas, …
blog_deixaosolchegar
Vou de Táxi! Cê sabe… Mas só se for amarelo. E com sóis…
blog_etvelha
Objetos Voadores Não Identificados às 15:59
blog_simetrias
Simetrias assimétricas. Ou um OVNI para facilitar…
blog_liberdade
Porque as vezes, tudo o que você quer é voar sozinho
blog_grupo
E outras vezes, tudo que você quer é estar com a turma
blog_oequilibrista
E se não podes voar e os outros não estão por perto, podes sempre brincar de equilibrista na corda invisível do buraco número 7
blog_aosol
Devagar se vai ao longe…

1Se estiver curioso para ver os outros dois capítulos desta série, podes visitar o capítulo #1 e o capítulo #2.