Há coisas que simplesmente acontecem, e temos de agradecer por isso.

A música é um elemento muito importante em minha vida. Muito. Pudesse eu, tudo que eu faço teria uma trilha sonora. Bom, boa parte já tem… Por essa razão estou sempre à procura de músicas que toquem minh’alma.

Calhou de hoje, enquanto deambulava entre as estantes de livros da FNAC em Oeiras, ouvir uns acordes no palco que ali há. Várias vezes por mês essa loja é palco de algum espetáculo, em sua maioria de músicos Portugueses.

Desta vez era o Tio Rex.

IMG_20180325_162215.jpg

Não, não conhecia, mas eu não pude evitar de virar o rosto e seguir em direção à música. Ali fiquei por uma hora, o tempo que a performance durou.

Posso dizer, sem sombra de dúvida, que tornei-me fã desse projeto capitaneado por Miguel Reis. Nesta apresentação ele estava acompanhado/acompanhava a Marta Banza (que pelo que entendi, e que me perdoem se estiver errado, é sua companheira de vida).

Eles cantam tanto em Português como em Inglês. O projeto também tem vários formatos. Nesta apresentação, o Tio Rex era um duo, mas eles se apresentam com convidados e com a banda também.

IMG_20180325_170212

Eu não sei definir a música do Tio Rex. Eles consideram-se como Folk. Eu prefiro chamar de fantástica. É música que é poesia que conta uma história. A maioria das músicas pende para o melancólico (é a minha percepção), e parece coerente, uma vez que os temas tratados não são exatamente alegres. Ainda assim, o último trabalho (5 Tragedies) parece ser um pouco mais leve (o que até parece contradição, se você parar para ler os títulos das músicas…

Você encontra suas músicas à venda no Bandcamp (já usei o Bandcamp e recomendo). Lá podem comprar a música, e ouví-la, e ler as letras, etc. A música do Tio Rex também pode ser encontrada em outros lugares típicos (Spotify, etc).

No fim, pude conversar um pouquinho com ele e voltei para casa com dois trabalhos, o mais recente, 5 Tragedies, e o anterior, Ensaio Sobre a Harmonia.

Aqui cabe um aparte. Esses trabalhos são feitos à mão, em tiragem limitada. São, literalmente, artesanato…

IMG_20180325_231115IMG_20180325_231428IMG_20180325_231319

Na biografia (na página na internet, link lá em cima), ele termina assim:

Tio Rex, o segredo mais bem guardado da folk portuguesa, está quase, quase, a deixar de o ser.

Espero poder ajudar com que isso aconteça mais depressa.

Ficam aqui 3 músicas dele, para vocês saborearem.

Autofla-gela-ção
(Tio Rex)

Ainda ouço a tua voz,
Ainda trago o teu cheiro num par de luvas.
Rasgadas na ponta, seis longos Invernos as viram abrir.

O Espelho não mente mas está partido…
Já não vejo Amor reflectido.

Sem correntes para a neve,
Do carro não saio enquanto cair.
Vou esperar pelo sol; o calor que senti derreteu o gelo.

A menos que um dia alguém siga as pegadas…
Eu destranco a porta trancada.
Eu destranco a porta trancada.

The Gods are Dying
(Tio Rex)

Watch them fall like brownish leaves

And we’re not even through September

The Gods, the Gods are dying

The Gods, the Gods are dead



Townes Van Zandt, Seeger and Cash

Dylan and Cohen up next

The Gods, the Gods are dying

The Gods, the Gods are dead.



I still worship near or far,

When I pick up a guitar

And though I feel them in the breeze

Now I’m howling on my knees:

The Gods, the Gods are dying

The Gods, My Gods are dead.

O Que o Tempo Destrói
(Tio Rex)

Mais um golo de Whiskey
Por alguém que partiu
Mais um ramo de flores
Numa campa ao frio

E só de pensar que só morrendo te vou ver
e que até lá gasto os meus dias a viver
Fumo outro cigarro
Ando mal acompanhado
Mando outro copo abaixo

Vou a caminho
Do que a todos nos espera
Seja Deus ou Diabo
Ou um buraco na terra
Não quero mais partilhar este mundo com Monstros e feras

Lembro o teu par
E no quanto anseia
Por um melhor lugar
Do que aquele que a rodeia
Enquanto vive no escuro
E com memórias constrói
O que há p’ra lá do muro
Que o tempo destrói

E só de pensar que só largando sentirá
Os braços do homem pai de quem a quer por cá
Tolera outro dia
Numa rotina vazia
Enquanto aguarda uma luz que a guie

Vai a caminho
Do que a todos nos espera
Seja Deus ou Diabo
Ou um buraco na terra
Não quer mais partilhar este mundo com Monstros e feras


1Se você tem algum artista que você curte, seja um músico, um escritor, um ator, um palhaço, um escultor, desenhista ou pintor ou qualquer outro desses malucos que ainda acreditam que o homem tem salvação (ou não), ajude-os a produzirem sua arte (leia-se comprem). E espalhem a palavra.